Aguarde, carregando...

Como criar e gerenciar um orçamento - Parte 2

Como criar e gerenciar um orçamento - Parte 2
Francisco Souza
Por: Francisco Souza
Dia 10/04/2019 23h21

As estratégias e técnicas de orçamento variam em todas as classes e fases. Haverá diferenças, por exemplo, entre o que funciona para um estudante universitário do primeiro ano e outro para um aposentado.

Olá pessoal

Nesta segunda parte vamos falar sobre como criar um orçamento.

Na primeira parte vimos os diferentes métodos para a criação do nosso sistema de orçamento, que chamaremos de agora em diante de Gerenciador Financeiro.

Ainda não viu a primeira parte? Clique aqui que levo você até lá.

Já escolheu qual a melhor forma?

Se sim, Então #BoraControlar

Criando um orçamento

As estratégias e técnicas de orçamento variam em todas as classes e fases. Haverá diferenças, por exemplo, entre o que funciona para um estudante universitário do primeiro ano e outro para um aposentado. Mas existem cinco etapas básicas na criação de um orçamento. Estas etapas são importantes porque constroem hierarquias umas sobre as outras, ajudando você a organizar suas finanças de maneira sensata.

Etapa 1: definir metas

Existem dois tipos de objetivos financeiros: imediato e longo alcance. Os objetivos imediatos se concentram em usar seu dinheiro hoje, enquanto os objetivos de longo prazo lidam com economia e gastos ao longo de décadas. Ambos são importantes e se complementam: poupar dinheiro hoje afeta o que você gasta agora, mas também o quanto você terá mais tarde em sua vida.

Você precisa determinar quais objetivos atendem às necessidades e quais cobrem os luxos. Então, você pode priorizar seus objetivos financeiros de acordo com o que realmente importa.

Metas financeiras imediatas incluem cobrir as despesas correntes. Algumas delas são obrigatórias e incluem o pagamento de prestações ou aluguel, empréstimos para carro, contas de serviços públicos, cuidados infantis, alimentação, telefone celular e utensílios domésticos. Objetivos secundários, chamados de itens discricionários, incluem roupas não essenciais, assinaturas, jantar fora e tirar férias. Objetivos financeiros de longo alcance também podem incluir a poupança para aposentadoria, investimentos e doações de caridade. Se você tem dívidas, pagá-las pode ser obrigatório ou discricionário. Fazer pagamentos obrigatórios é essencial para a sobrevivência financeira, mas o pagamento antecipado de dívidas, embora não seja obrigatório, pode fazer sentido a longo prazo.

Etapa 2: Calcular suas receitas e despesas

Depois de determinar seus objetivos financeiros, você precisa de um plano para alcançá-los. Para fazer isso, você precisa avaliar sua renda e suas despesas. A maioria das pessoas faz o orçamento mensal porque a maioria das contas segue um cronograma mensal.

Comece por fazer uma lista das suas fontes de rendimento mensal, incluindo o seu salário (valor liquido após impostos), quaisquer bónus incorridos regularmente. Se você não sabe o valor exato, pode usar uma estimativa. Depois de ter seus números, adicione-os. O total é sua renda mensal.

A próxima parte da equação são suas despesas, que se dividem em três categorias: despesas fixas comprometidas, despesas com compromissos variáveis ​​e despesas discricionárias.

  • Despesas confirmadas fixas: elas têm um valor mensal fixo, como sua prestação ou aluguel.
  • Despesas com comprometimento variável: variam de um mês a um mês com base na necessidade e incluem mantimentos e gasolina.
  • Despesas discricionárias: Como observado, estas são despesas opcionais e incluem recreação e entretenimento. A mensalidade da academia também se enquadra nessa categoria ;-]. Despesas discricionárias muitas vezes tornam a vida mais satisfatória, mas não devem ser as primeiras despesas se você não puder pagar o básico.

Se você não pagar suas faturas de cartão de crédito todo mês, começará a pagar muitos juros. Isso pode atrapalhar qualquer orçamento. Se os pagamentos realizados com cartão de crédito consumir mais de 20% de sua renda mensal considere falar com um conselheiro de crédito sem fins lucrativos. Por telefone ou on-line, uma sessão gratuita de aconselhamento de crédito orientará você pelo seu orçamento e recomendará despesas que podem ser reduzidas ou eliminadas. Se você puder faça um parcelamento da dívida, isto poderá reduzir também os pagamentos mensais da dívida.

Etapa 3: Analise seus gastos e equilibre seu talão de cheques

O objetivo do orçamento é garantir que suas despesas não excedam sua renda. Se o fizerem, e mais dinheiro sair do que está entrando, você precisará fazer ajustes. Isso não significa necessariamente que você precisa começar a economizar; Significa apenas que é hora de rever a categoria de custo discricionário e ver onde você está disposto e capaz de cortar.

Se você fizer qualquer pagamento por cheque, o seu registro de talão de cheques poderá ajudá-lo a acompanhar o recebimento e a saída de dinheiro e o que você gasta em dinheiro. Embora o pagamento por cheque esteja se tornando cada vez mais raro, aqueles que aderem a esse método de pagamento devem manter seus talões de cheques equilibrados. Isso ajudará você a evitar taxas extras ou cheques devolvidos, e pode lançar alguma luz sobre seus hábitos.

Aqui estão os princípios básicos:

  • Mantenha registros para todos os seus depósitos e compras. Registre cada um em seu registro de cheques, que o banco fornecerá a você.
  • Imprima ou faça o download de seu extrato bancário mensal. Se você está fazendo tudo on-line, nosso software pode facilitar essa etapa e o orçamento.
  • Faça sua própria matemática para depósitos e saques para garantir que seu banco não tenha perdido nada ou tomado liberdades com seu dinheiro. Reconcilie linha por linha, certificando-se de que seu registro de cheques seja o mesmo da declaração.
  • Encontre o número final de cada extrato mensal e retroceda, verifique o que foi pago e o que não foi. Os depósitos que não foram compensados ​​precisarão ser subtraídos do seu saldo. Se seus cheques não tiverem sido compensados, eles precisarão ser adicionados de volta ao seu saldo até que eles compensem.
  • Ir linha por linha e somar todas as taxas que você é cobrado. Ao analisa-las de perto você pode pedir ao banco para remover algumas, é o que os bancos costumam fazer se você persistir. Além disso, adicione os centavos de juros que você pode ter recebido.
  • Novamente, se você tiver acesso a um computador ou até mesmo a um smartphone, esse processo poderá ser automatizado usando nosso Software Financeiro, economizando tempo e frustração. O objetivo é analisar seu fluxo de caixa, procurar erros e aprender com o que você vê.

Etapa 4: Revise seu orçamento original

Depois de ter a chance de monitorar suas receitas e despesas por um mês ou dois, você estará mais ciente das áreas que precisam ser ajustadas. Talvez suas estimativas iniciais de rendimento mensal tenham sido baixas, ou talvez você não tenha contabilizado despesas como consertos de carros ou contas de veterinários, médicos, etc. Faça ajustes, mas sempre equilibre as entradas com as saídas.

Depois de resolver todas as dificuldades do seu orçamento, você precisa se comprometer a segui-lo. Nenhum orçamento é para sempre, por isso revisões periódicas são a chave para o sucesso.

Se você receber uma promoção, por exemplo, você pode aumentar seus gastos discricionários e suas metas de economia. Por outro lado, uma dispensa ou menos horas de trabalho pode significar cortar gastos até que você restaure sua renda.

A economia deve fazer parte do plano. Os planejadores financeiros recomendam que suas economias cubram seis meses de renda, o suficiente para compensar uma perda de emprego ou outra emergência. Você pode achar útil abrir uma conta de poupança separada e financiá-la gradualmente até atingir a meta. Manter uma conta separada tornará mais difícil invadir o fundo de emergência para cobrir itens não essenciais.

Passo 5 (o mais difícil): Compromisso

Criar um orçamento é um ótimo passo para se trabalhar em prol de um futuro mais financeiramente sólido para você e sua família. Comprometendo-se com seu orçamento, você chegará lá. Permaneça realista, avalie com frequência e não tenha medo de se ajustar. Orçamento e equilíbrio andam juntos.

Bom pessoal é isto.

Espero vocês no nosso próximo post.

#BoraControlar

Veja também:

Confira mais artigos relacionados e obtenha ainda mais dicas de controle para suas contas.